Alimentação

15 dicas de nutricionista para você emagrecer

1. Coma a cada três horas

Jejuns longos fazem o corpo queimar mais massa muscular e armazenar tecido gorduroso.

 

2. Varie o cardápio

Experimente comidas que não sejam só as suas preferidas.

 

3. Aposte nas frutas

Coma de três a seis frutas por dia (se der, com casca/bagaço) e alimentos com fibra (massas integrais, legumes e verduras).

 

4. Tome água fora das refeições

Beba um copo de cinco a dez minutos antes de comer, mas não durante a refeição (só uma hora depois). Tome de dois a três litros de água ao dia .

 

5. Coma saladas antes

Invista em salada antes da refeição – isso evita exagerar no prato principal.

 

6. Tempere com ervas

O óleo e o sal não dão sabor aos alimentos, mas as ervas, sim! Abuse delas!

 

7. Fique longe de frituras

Em vez de atacar as frituras, opte por alimentos assados e cozidos.

 

8. Evite refeições volumosas

Especialmente à noite, pois o excesso de nutrientes tende a virar gordura corporal.

 

9. Tire do seu cardápio

Embutidos, maionese, creme de leite, produtos industrializados, açúcar branco e bebidas alcoólicas – sobretudo à noite. Doce? Uma vez por semana. Prefira carnes magras e frango sem pele.

 

10. Prefira 1 carboidrato

Não coma mais de um carboidrato (arroz, massa, batata) por refeição.

 

11. Peça a opção light

Vá de pizzas de massa fina, sem borda recheada e com recheio light (abobrinha, atum, rúcula e tomate seco, etc).

 

12. Coma leguminosas

Feijão, grão-de-bico, ervilha. Pode comê-los quatro vezes por semana.

 

13. Invista em castanhas

Coma uma porção/dia de oleaginosa: uma castanha-do-pará ou noz ou duas castanhas de caju ou avelã ou três amêndoas, macadâmias ou pistaches.

 

14. Salpique a semente de linhaça

Bata semente de linhaça (marrom ou dourada) no liqüidificador e conserve na geladeira. Coma até duas vezes por dia.

 

15. Beba chás

Beba de três a quatro xícaras de chá verde ou branco por dia.

Read more...

Como fazer trocas inteligentes e ter uma alimentação saudável

Fazer dieta não é uma coisa fácil. Começar a se alimentar de forma mais saudável pode ser um problema, principalmente para quem não consegue resistir a certas tentações como sobremesas e uma bela mussa cheia de mussarela. Mas, se você quer mudar de hábitos e conseguir alcançar os seus objetivos, precisará começar de alguma forma.

Você finalmente decidiu mudar os hábitos alimentares, mas não sabe nem por onde começar. Existem algumas dicas que podem ajudar nesse período de transição que pode ser tão complicado, fazendo muitos desistir bem antes da hora.

Como fazer trocas inteligentes e ter uma alimentação saudável

Comece aos poucos
Nada de se radical. Ninguém, ou pelo menos, quase ninguém, vive só de frutas e verduras. Você deve sim ir mudando algumas coisas aos poucos. Por exemplo, comece a comer de 3 em 3 horas. Isso acelera o metabolismo ajudando a eliminar calorias e ainda impede você de ficar horas sem comer e acabar atacando uma torta de chocolate.

Fazendo as substituições
Já ouviram o ditado “de grão em grão a galinha enche o papo”? Pois bem, a ideia aqui é mais ou menos essa. Substituir alguns itens do cardápio é essencial para começar a ter uma dieta mais saudável e ainda perder uns quilos. Veja algumas boas alternativas que são fáceis de fazer:

Como fazer trocas inteligentes e ter uma alimentação saudável

Chocolate ao leite por chocolate meio amargo ou amargo, ficando sempre atento ao real teor de cacau nesse alimento;
Açúcar industrializado por mel ou açúcar mascavo. A vantagem do mel é que ele tem muito antioxidante, já o mascavo possui boas doses de ferro. O melhor é consumir um pouco dos dois;
Biscoitos podem dar lugar às frutas e ainda são mais baratas. Opte pelas frutas da estação. Por exemplo, morangos são muito mais baratos no inverno;
Troque o leite integral pelo semidesnatado ou desnatado no qual o teor de gordura é quase 0%;
O refrigerante e o suco industrializado são facilmente substituídos pelos sucos. Tem muita gente que toma suco de caixinha achando que está sendo mais saudável do que escolher um refrigerante. Esses sucos são cheios de radicais livres, substâncias que aceleram o ENVELHECIMENTO celular e podem levar ao câncer;
Muita gente gosta de tomar achocolatado em pó, tanto adultos quanto crianças. Ele é cheio de açúcar e não vai deixar você perder essa gordura localizada. Troque-o por cacau em pó ou alfarroba. O sabor dos dois é mais amargo, mas para disfarçar o gosto faça vitaminas com frutas e acrescente um pouco de mel se achar necessário;
Como fazer trocas inteligentes e ter uma alimentação saudável

Descubra os vários benefícios do cacau em pó.

Carboidratos simples pelos integrais. Padarias e supermercados já estão cheios de produtos integrais nas prateleiras. Um bom exemplo é o arroz e o pão de todo dia que fazem uma diferença enorme na balança depois de um mês;
Aprenda a diversificar o cardápio
É comum que deixemos a vida saudável de lado por pura preguiça, mas isso não pode acontecer se você quer realmente mudar seu estilo de vida. É muito fácil enjoar de comer fruta em todos os lanches, chocolate amargo de sobremesa depois do almoço. Tudo isso cansa.

Mas, para quase tudo nessa vida há uma solução. Existem diversas receitas que podem ser facilmente modificadas e se tornarem mais lights com algumas pequenas mudanças. A internet está repleta de receitas que ajudam a emagrecer.

Como fazer trocas inteligentes e ter uma alimentação saudável

Você pode fazer massa de panqueca integral usando farinha de trigo integral no lugar da farinha branca, ou mesmo, a farinha de aveia em flocos finos. O açúcar pode ser trocado pelo demerara, uma versão do açúcar comum sem aditivos químicos ou pelo açúcar de coco. O óleo ou manteiga comum também podem ser trocados por óleo de coco e margarina light.

Quase tudo nessa vida só depende de nós. Precisamos parar de arranjar desculpas e colocar a mão na massa, sair da nossa zona de conforto. Tenha paciência e, acima de tudo, perseverança. É aos poucos que as coisas vão dando certo.

Read more...

Porque potássio é importante para musculação?

Você já viu aquele seu conhecido que come uma penca de banana todos os dias? Então você fica se perguntando porque comer tanta banana, uma fruta cheia de carboidratos e que praticamente tem 0% de proteínas? A banana é rica em potássio, um nutriente importantíssimo para quem quer ter bom desempenho muscular.

Quais as funções do potássio?

O potássio é extremamente importante para as funções do corpo. Lembra-se de quando estudávamos no colégio sobre a bomba de sódio e potássio? Ou seja, é esse mineral que consegue equilibrar o potencial elétrico da membrana, permitindo que certos nutrientes entrem na célula ou não. Além disso, o potássio é essencial na contração muscular.

Veja como o aspargo pode ajudar na HIPERTROFIA MUSCULAR.

Outra função importante do potássio, a nível celular, é o fato dele ser um importante fator paras as enzimas potássio-ATPase e a piruvato quinase. Elas interferem diretamente no metabolismo dos carboidratos, gerando energia para o corpo. E por fim, mas não menos importante, o potássio também ajuda no controle de líquidos do corpo, ajudando a equilibrar a pressão arterial.

1

A falta de potássio
Quando o nosso corpo está com deficit em potássio chamamos isso de hipocalemia. Isso é quando estamos numa extrema deficiência de potássio, mas não pela falta de ingestão e sim pela sua saída do corpo através do vômito, diarreia, pela urina e outros meios. Os primeiros sinais e sintomas da hipocalemia são:

fadiga muscular;
prolemas com a digestão;
arritmia cardíaca;
cansaço;

A hipercalemia
Se a deficiência de potássio pode causar prejuízos ao nosso corpo, o excesso dele também pode. A hipercalemia acontece justamente quando há uma alta ingestão de potássio, principalmente através de suplementos alimentares, e não há um nível de excreção suficiente para equilibrar a quantidade desse mineral no corpo. Pode ocorrer uma sobrecarga renal e distúrbios no sistema gastrointestinal.

A relação do potássio com a atividade física
Estudos já comprovaram que indivíduos com uma dieta pobre em potássio perdiam massa muscular de forma evidente. O potássio não auxilia apenas durante a contração muscular como também na sua síntese. Observa-se que alguns fisiculturistas costumam consumir tabletes de potássio no pós-treino. Porém, esse tipo de hábito deve ser acompanhado de perto por um médico e ainda assim se for necessário.

Alimentos ricos em potássio
Como dito no início, a banana é rica em potássio. 1 banana média possui 422 mg de potássio e quando assada com a casca esse número fica maior que o dobro: 926 mg. Veja abaixo outros alimentos ricos em potássio para cada 100 g:

Ameixa seca: 732 mg;
Uva passa: 749 mg;
Abóbora: 340 mg;
Tomate: 237 mg;
Abacate: 485 mg;
Amendoim: 705 mg;
Como consumir

É preciso ficar atento às quantidades adequadas para o consumo diário. Para um adulto com mais de 19 anos, a quantidade é de 4.700 mg por dia, já para as mulheres, esse valor pode alternar até 5.100 mg por dia. Pode ser um valor muito grande, mas existem alimentos que possuem muito potássio, como os citados acima. Apenas alguns deles já supriria essa demanda.

Read more...

7 RAZÕES PORQUE DEVES COMER DE 3 EM 3 HORAS

1470110_743253309072267_3396807409270718700_n

Um dia tem 24 horas, se dormirmos 8 horas, sobram-nos 16 horas, para estarmos acordados durante o dia. Estudos recentes dizem-nos que: são necessárias em média 3 horas para o nosso organismo digerir cada refeição, e que os aminoácidos duram cerca de 3 horas na corrente sanguínea. Vamos fazer as contas: 6 refeições ao longo de 16 horas dá 2.7 horas, e 5 refeições ao longo de 16 horas dá 3.2 horas. Por isso a média tem de ser, cada refeição de 3 em 3 horas.

 

Fazer refeições de duas em duas horas, não está incorrecto. Se por qualquer razão passado 2 horas já tiver fome, então coma, o importante é que não tenha fome. Às vezes também devido aos nossos horários temos mesmo que comer com distância de 2 horas da refeição anterior, para evitar ficar mais que 3 horas sem comer. Não tem que ficar preso as 3 horas entre refeições, podes comer passado 2 horas e meia da tua ultima refeição por exemplo, o importante é que não fiques mais que 3 horas sem comer.

 

 

7 razões porque deves comer de 3 em 3 horas:

 

  • Aumenta o teu metabolismo. Metabolismo é a quantidade de calorias que queimamos por dia. Se o nosso metabolismo for baixo, queimamos poucas calorias, se for alto queimamos muitas calorias. Então porque razão comer de 3 em 3 horas aumenta o teu metabolismo? Porque, cada vez que ingeres um alimento, o teu organismo terá de gastar energia para o digerir. Por essa razão cada vez que comes estás a queimar calorias.

 

  • Evita ataques de fome, isto porque quando ficas muitas horas sem comer, ficas cheio de fome, e a única coisa que queres fazer é comer, sem te importares se é comida saudável ou não. O que muitas vezes acontece é que acabas por comer doces ou comidas com muita gordura (que é o que geralmente grande parte dos cafés e bares tem para te vender).

 

  • Mantém os teus níveis de energia altos. No caso das pessoas que ficam muitas horas sem comer ( como exemplo: caso muito comum de comer 3 vezes ao dia – pequeno almoço, almoço e jantar) , elas verificam muitas vezes situações de moleza e cansaço. Isto acontece porque os seus corpos ficaram privados de energia durante muito tempo. A importância da alimentação no nosso corpo   funciona mais ou menos como a importância do combustível para o automóvel, se não lhe damos combustível ele não anda e se lhe pomos um bom combustível ele fica mais potente. Por essa razão, para nos sentirmos com mais energia no nosso dia-a-dia, é importante comermos de 3 em 3 horas e dar ênfase a comida saudável. ~

 

  • Evita a destruição dos músculos. O nosso corpo precisa de estar constantemente a receber aminoácidos (blocos construtores das proteínas), ou provenientes da alimentação ou dos nossos músculos.  Quando se come de 3 em 3 horas, o organismo está constantemente a receber nutrientes (aminoácidos) para os músculos, mantendo assim a nossa massa muscular. Ficando muitas horas sem comer  o nosso organismo fica privado de receber os aminoácidos dos alimentos, então vai buscá-los aos nossos músculos,  o nosso organismo entra assim no estado de catabolismo, ou seja, destruição muscular. As consequências que advêm disso são : um corpo flácido e um metabolismo baixo.

 

  • Melhor utilização dos nutrientes por parte do organismo. Ao alimentar constantemente o nosso corpo, provocamos um fluxo constante de nutrientes em doses mais pequenas no nosso organismo, comparando por exemplo com o programa habitual de 3 refeições ao dia. Isto porque desta forma ( fazer 3 refeições ao dia) cada vez que comemos, comemos em exagero (devido a grande fome que temos), e consumimos mais energia do que a que precisamos, então como tal o organismo vai armazená-los. Essa energia a mais vai ser armazenada sobre a forma de gordura. Se comermos mais regularmente ao longo do dia, isso já não acontece.

 

  • Diminui a armazenamento de gordura. Comer de 3 em 3 horas vai evitar que o teu corpo desencadeie o mecanismo de sobrevivência, que vai provocar armazenamento de gordura. Para além disso comer frequentemente, faz diminuir a quantidade de calorias que se consome em cada uma das refeições, fazendo com que o organismo utilize toda a comida como energia, para continuar o dia, ao contrário do que acontece quando comemos poucas vezes ao dia. Quando ficamos muitas horas sem comer, depois temos tendência a comer mais do que o nosso corpo precisa, então o nosso organismo vai armazenar parte dessa comida sobre a forma de gordura, para quando mais tarde precisar.

fonte: Pesocerto

Read more...

AÇUCAR OU ADOÇANTE ?

cafe-torrao-acucarQual a forma correta de adoçar o cafezinho, o suco ou chá? É fato comprovado que o consumo excessivo de açúcar é prejudicial à saúde, devendo ser evitado em prol de umaalimentação saudável. No entanto, o uso deadoçantes em excesso também não é o indicado.

Existem outras formas saudáveis e sem abusar das calorias para adoçar a bebida. Evite adoçar os sucos de frutas naturais, sinta o sabor doce da fruta. A adaptação para opaladar menos doce é o primeiro passo para evitar que toda preparação seja adoçada.

açúcar cristal, o refinado e o de confeiteiro são os mais populares no mercado, porém apresentam um alto índice glicêmico e menos nutrientes, devido às etapas de processo industrial às quais são submetidos. O açúcar orgânico é cultivado sem fertilizantes químicos desde o plantio até a sua etapa final. As características nutricionais são mantidas, apresentando uma maior quantidade de vitaminas e minerais.

açúcar light é uma mistura do açúcar (sacarose) com adoçantes (sucralose, ciclamato ou sacarina). Por este motivo, não apresenta o gosto residual dos adoçantes em geral. Seu valor calórico não é tão baixo em comparação ao dos adoçantes. Costuma-se dizer que o açúcar light é um intermediário entre o açúcar refinado e o adoçante. O seu consumo é contra indicado para indivíduos diabéticos.

A famosa frutose é o próprio açúcar presente nas frutas, com poder de adoçar bem maior do que a sacarose. Já o açúcar mascavo não passa por nenhum processo de refinamento, mantendo suas características nutricionais. Existe ainda o demerara, bastante semelhante ao açúcar mascavo. A única diferença é que ele não altera o sabor dos alimentos.

Os adoçantes, embora pareçam iguais, têm características diferentes: os adoçantes artificiaissão indicados para diabéticos e os naturais para indivíduos em geral. Os naturais são compostos por frutose, glicosesacarosestévia, etc. Os artificiais são comumente conhecidos comoedulcorantes.

Apesar de não terem calorias, os adoçantes artificiais apresentam diversos aditivos químicos, como aspartame sacarina, alguns deles comprovadamente prejudiciais à saúde a longo prazo. Estudos apontam que o excesso destas substâncias pode causar alterações genéticas e alguns tipos de câncer. Se for optar pelo uso de adoçantes, prefira os naturais como stévia e sucralose.

OBS: Se a sua taxa de glicose é estável, prefira os açúcares light, orgânico ou mascavo. Existem ainda outras opções para adoçar as preparações de forma saudável, como o açúcar de coco (natural, baixo índice glicêmico e rico em vitaminas e minerais), o xarope de agave(natural, de baixo índice glicêmico, rico em vitaminas e minerais e com ótimo poder adoçante) e o mel (natural e com boa fonte de vitaminas e minerais), que deve ser orgânico e utilizado puro.

tâmara é outra opção. Naturalmente doce, pode ser misturada em sucos, bolos, cremes e mouses. Para finalizar, o maple syrup também pode ser usado. Naturalmente orgânico, tem alto índice glicêmico, contém vitaminas e minerais. Ele deve ser associado a alimentos que possam diminuir o seu índice glicêmico. Sempre alterne as formas de adoçar os alimentos e use sempre com moderação. Não abuse do açúcar e reduza o uso de adoçantes.

 

fonte: nutriçao e bem estar/

Read more...

SOMOS O QUÊ, COM QUEM, COMO E POR QUE COMEMOS, DIZ NOVO MOVIMENTO

1470110_743253309072267_3396807409270718700_nUm novo movimento chamado Nutrição Comportamental surge para ratificar que somos não somente o que comemos, mas como comemos, com quem comemos e por que comemos. A Nutrição Comportamental é o movimento da nutrição que inclui osaspectos fisiológicossociais e emocionais da alimentação, promovendo mudanças no relacionamento do nutricionista com seu paciente, acabando com o perfil controlador.

De acordo com os nutricionistas idealizadores, “o como se come – as crenças, pensamentos e sentimentos sobre comida – são tão ou mais importantes do que simplesmente o que se come”. O comportamento alimentar está diretamente relacionado com a nossa cultura, a sociedade em que vivemos, nossa relação com a comida, clima, ecologia, aspectos biológicos (idade e sexo) e econômicos.

Os seres humanos são animais onívoros, podendo consumir tanto alimentos de origem vegetal como de origem animal. No processo evolutivo da espécie, descoberta do fogo e confecção de instrumentos, passou a caçar e introduziu a agricultura, modificando a forma como o alimento inicialmente era obtido. Com a evolução tecnológica e aumento da população mundial, novas técnicas foram elaboradas para aumentar a produção e variedade dos alimentos (plantação, criação de animais, etc…).

Com tanta variedade alimentar, contraditoriamente começamos a restringir grupos alimentares, a ter medo dos alimentos. Nunca foi tão difícil chegar a um consenso do que é alimentação saudável. Mas saudável para quem? Temos muitas informações, linhas de pesquisas, tendências, estudos… mas há certo ou errado, mocinhos e vilões?

Não, não há mocinhos e vilões. O alimento isolado não tem todo este poder. Estaríamos sendo muito reducionistas se acreditássemos que somos apenas o que comemos e que nos alimentamos apenas para obter energia!

Segundo Claude Fishler, sociólogo francês: “comida não é só nutrientes, calorias, proteínas, vitaminas, etc. Existem regras que estão implícitas no ato de comer, que os comedores seguem sem ter consciência que estão seguindo, como as coisas que se pode comer ou não, as horas em que se deve comer, o número de refeições diárias, com quem se deve comer, qual a etiqueta que se deve seguir”.

Em cada sociedade, a comida possui um simbolismo, como exemplo na Índia a vaca é sagrada e na China é comum comer cachorro e insetos.

Questionamos como os franceses são magros e têm baixa incidência de aterosclerose apesar da grande ingestão de gordura saturada, de beberem vinho, comerem queijos pães. Segundo o psicólogo americano Paul Rozin, é preciso entender o valor que eles dão ao ato de comer: comem pequenas porções, não beliscam, valorizam o ato de comer (degustando e valorizando o prazer), comem em família e com amigos. Já os americanos comem porções maiores, realizam as refeições em carros ou andando, petiscam.

Além da grande oferta de alimentos, aumento da ingestão alimentar, comemos alimentos comdensidade energética maior (mais calorias) e estamos gastando menos energia para realizar atividades básicas do dia a dia. Com o avanço tecnológico e melhora dos meios de transportes, estamos poupando mais energia.

Precisamos valorizar mais o ato de comer:

– Resgatar as refeições em família e com amigos;
– Mastigar mais lentamente os alimentos, permitindo que fiquem mais tempo na boca, gerando mais prazer e promovendo maior saciedade;
– Ingerir alimentos mais frescos, regionais e na safra (período de colheita, melhor qualidade nutricional e preço do alimento);
– Resgatar o ato de cozinhar.

 

fonte : saude/

Read more...

As novas que prometem de boa saúde até perda de peso surgem a todo momento, mas vale a pena seguir modismos?

Quem nunca ouviu dizer que a dieta mediterrânea é considerada a mais saudável do mundo? Composta por peixes, azeites, frutas, verduras e cerais, há estudos que mostram que aqueles que se alimentam desse cardápio vive mais.

Mas, e quem mora do lado de cá do oceano? Além de consumir frutas, legumes e verduras, que oferecem muitos nutrientes, a nutricionista Ana Maria Lottenberg, no Fórum Nacional de Nutrição, explica que a dieta ideal é aquela que atua como parte de prevenção e tratamento de doenças crônicas.

“Ela precisa promover qualidade de vida, bem como ser agradável ao paladar, para ser sustentável a longo prazo”, afirma a nutricionista.

A dieta saudável deve ter:

Valor calórico ideal: precisa contar com uma quantidade ideal de adequado. Nem demais, nem de menos. Com muito, o organismo começa a estocar gordura. Com pouco, a quantidade de nutrientes necessária diariamente não vai ser atingida. A recomendação genérica é uma dieta de 2 mil calorias, mas um nutricionista poderá ajustar a quantidade necessária individualmente e com mais precisão.

com moderaçãGorduraso: sabe-se hoje que o excesso de gordura pela alimentação aumenta o colesterol. A gordura saturada não é mais considerada vilã, desde que seja consumida com moderação (de 7 a 10% das calorias diárias). A gordura poli-insaturada é aquela que tem do azeite e deve constar na dieta, também com moderação.

Isenta de gordura trans: esse tipo de gordura deve ser banido completamente do cardápio. “Muita gordura trans faz mal e pouca também faz mal”, alerta o endocrinologista Alfredo Halpern, professor da Universidade de São Paulo. Esse tipo de gordura, além dos males cardíacos, faz com que o fígado fique gordo, causando problemas parecidos com aqueles que quem bebeu demais ao longo da vida tem.

Não muito álcool: o álcool faz bem quando é consumido com parcimônia. Duas taças diárias de vinho para o homem e uma para as mulheres. A diferença na quantidade não é discriminação de gênero, mas sim ciência: a mulher tem menos enzimas que digerem o álcool, o que faz com que se embriague mais fácil.

Açúcar (sacarose) com moderação e nada de frutose: o açúcar branco (sacarose), em até 10% da quantidade das calorias recomendadas diariamente, não faz mal, para um adulto saudável. O que é um problema, alertam especialistas, é a frutose que está presente em grande quantidade em produtos industrializados, como refrigerante. O xarope de milho, insumo para muitos alimentos processados, é rico nesse tipo de açúcar. O corpo não consegue metabolizar corretamente e sofre agressão.

Sal com moderação: o brasileiro consome sal além da conta. Estima-se que cada um dos mais de 200 milhões de habitantes ingiram de 12g a 15g de sal diariamente. A Organização Mundial da Saúde preconiza que a ingestão seja de seis gramas ao dia. No entanto, Alfredo Halpern diz que estudos mostram que os seis gramas é muito pouco, e, se a pessoa for saudável e não tiver pressão alta, o consumo ideal é de oito gramas, que passa bem longe do abrasileirado 15g. Para uma referência, sachês individuais de sal contêm 1g.

Bom aporte de cálcio: o brasileiro tem carência de cálcio. A recomendação é de 800mg a 1200mg por dia. Uma porção de sardinha, por exemplo, conta com 150mg. Um copo de leite tem cerca de 250mg. A média do consumo no País é de 110mg por dia, valor bem abaixo do preconizado.

Mau exemplo bem longe do Mediterrâneo

Sabe-se que no Brasil mais da metade da população armazena mais quilos do que deveria para a uma boa qualidade de vida: 16% dos brasileiros estão com índice de massa corporal que indica obesidade. Condição que é um fator estimulador para o surgimento de doenças, que vão desde problemas cardíacos até o aparecimento de determinados tipos de câncer.

Para Ana Maria, o fato de boa parte da população ter deixado de comer arroz e feijão favoreceu para o ganho de peso em massa. No lugar dessa combinação já conhecida pelos médicos por ser saudável, alimentos industrializados de forma ruim e outros gordurosos tomaram conta das mesas nacionais.

“Sabe-se que um prato padrão de arroz, feijão, bife e salada concede 1,6 calorias por grama. Já os lanches costumam ter 2,6 calorias por grama”, explica ela. Logo, comer lanches em excesso vai aumentar o peso, além de não fornecer a quantidade ideal de nutrientes por dia.

O excesso de gordura consumido no País também favorece o aumento do colesterol ruim e a aterosclerose, que inclui o depósito de placas de gordura nas artérias.

Read more...